Documento sem título
Documento sem título
 

 

Documento sem título
As cores

As cores do arco-íris na bandeira
da comunidade GLS

Símbolo universal do movimento homossexual, a bandeira que traz as cores do arco-íris é um dos ícones mais utilizados entre os membros da comunidade GLS. A multiplicidade de cores ultrapassou os limites da cidade de São Francisco e alcançou âmbito internacional. Com mais de duas décadas de uso e depois de passar por mudanças estruturais, a bandeira garante o colorido típico das paradas e passeatas do movimento em todo o mundo.

A chamada Rainbow Flag foi criada por Gilbert Baker, um artista natural de São Francisco, em 1978. A nova bandeira veio substituir o triângulo invertido cor-de-rosa, ícone depreciativo usado durante o regime nazista na Alemanha. "O triângulo era o símbolo que identificava os homossexuais nos campos de concentração", diz Ana Maria Estima de Almeida, da Associação da Parada do Orgulho de GLBT, de São Paulo. Inspirado nas cinco cores da Flag of the Race – Bandeira das Raças –, Baker criou o design de uma bandeira de oito cores, cada qual com o seu significado. Segundo Oséas Santana, coordenador do Grupo Gay da Bahia e presidente do Grupo Quimbanda Dudu, as cores representam a diversidade do movimento homossexual. "O rosa significa a sexualidade; o vermelho, vida e coragem; o laranja, a cura; o amarelo, o sol; o verde, a natureza; o turquesa, a arte; o índigo, a harmonia e o violeta, o espírito". 

Em pouco tempo, a bandeira passou a ser vendida e usada em peso nas paradas norte-americanas. Porém, logo de início, ela passou por uma modificação: o rosa foi retirado da bandeira, pois o tecido estava em falta no comércio local. A Rainbow Flag foi reconhecida pelo Pride Parade Committee e oficialmente utilizada pela primeira vez em 1979, para demonstrar a força e a indignação dos ativistas com o assassinato de um dos líderes do movimento homossexual americano, Harvey Milk, em novembro do ano anterior. O comitê eliminou a cor índigo, para que fosse obtido um número par de listras e as cores pudessem ser dispostas três a três nos dois lados da avenida. "A bandeira passou então a ter seis cores, e não mais oito. Essa nova versão do símbolo homossexual foi adotada pelo International Congress of Flag Makers", diz Ana Maria.

Hoje em dia, a Rainbow Flag é utilizada em Paradas do Orgulho Gay em todo o mundo. "As cores da bandeira simbolizam a diversidade, por isso ela se tornou um ícone do movimento e atingiu um caráter universal", diz Marcela Prado, secretária geral do Grupo Dignidade de Curitiba e presidente da Associação Sul-Brasileira de Gays, Lésbicas e Transgêneros. Segundo Oséas Santana, "A bandeira é o maior objeto de auto-expressão do movimento homossexual. É um símbolo maravilhoso, mágico e combina com a vida". Embora a bandeira mantenha sua idéia original, ela é atualmente representada de formas diversas pelo mundo. Algumas ainda utilizam as oito cores iniciais, como a exposta no edifício Harvey Milk Plaza, em São Francisco. Outras substituíram o turquesa pelo índigo ou acrescentaram o rosa às seis cores da bandeira oficial.

Outros símbolos do movimento homossexual além da bandeira e do triângulo cor-de-rosa invertido são os símbolos do gênero (a cruz de Vênus feminina e a seta de Marte masculina juntas em um só círculo), desde o início da década de 70, e o lambda (letra grega que se assemelha a um "L"), escolhido pela New York Gay Activist Alliance, em 1970, como ícone do movimento gay.

Envie essa matéria a um amigo:
Seu Nome:

Seu E-mail:

E-mail do seu amigo:


 
Documento sem título
Acompanhe o MundoCor:
Documento sem título